Os 6 cogumelos mais venenosos do mundo

| ENTRETENIMENTO
Os 6 cogumelos mais venenosos do mundo
Fonte:listas.20minutos.es
Lista dedicada a Stevouchka para o dueto que ele fez com Bolboreta: D Stevo você é um grande amigo. ----- As espécies de cogumelos venenosos são poucas, mas é importante saber como identificá-las para evitar envenenamentos que, por vezes, podem causar a morte. Os mais comuns são 'Amanita phalloides', 'Amanita muscaria', 'Boletus satanas', 'Lactarius torminosus' ou 'Russula emetica'. O mais importante não é consumir um cogumelo que não tenha sido previamente identificado e do qual, portanto, sua segurança é desconhecida. Em caso de envenenamento, assim que aparecerem os primeiros sintomas, é necessário ir imediatamente a um hospital, preferencialmente com cópia do fungo ingerido ou do restante que poderia ter sido recuperado, para facilitar o diagnóstico.

TOP 6:

Lactarius torminosus

Lactarius torminosus
É o falso níscalo pela estreita semelhança mantida por ambas as espécies. É comum em regiões montanhosas, especialmente em Cerdanya, Ripollès e Garrotxa. Ocupa a parte mais baixa da escala de perigo, uma vez que sua toxicidade é limitada a causar pequenos distúrbios gastrointestinais. Os sintomas aparecem logo após o consumo (entre 15 minutos e três horas). Ela cresce desde o verão até o outono, sempre perto das bétulas.

TOP 5:

Cortinarius

Cortinarius
O 'Cortinarius orellanus', o 'Cortinarius speciosissimus' ou o 'Cortinarius cinnamomeus' (na imagem) fazem parte deste gênero. Eles são raros e crescem em florestas decíduas ou florestas de pinheiros e são difíceis de confundir com espécies comestíveis. Geralmente não são cogumelos comestíveis. A maioria é de mau gosto ou indigesta. Alguns destes cogumelos são muito tóxicos, especialmente o 'C. orellanus ', freqüentemente mortal. Seus sintomas aparecem dias após o seu consumo, até semanas. Causam cansaço, sede intensa e boca seca, perda de apetite, dores de cabeça e distúrbios renais e hepáticos.


TOP 4:

Russula emetica

Russula emetica
É encontrado em florestas e áreas úmidas e musgosas. É muito difundido em nosso país e morfologicamente é muito variado. Dentro da família das 'Russulas', existem outros cogumelos tóxicos, além da emetica. Eles causam distúrbios leves no nível gastroentérico em um curto período, de meia hora a duas horas, após o consumo. É tóxico apenas em grandes quantidades e um único exemplar, cozido com outras espécies, é seguro.

TOP 3:

Boletus satanas

Boletus satanas
Este grande cogumelo é menos perigoso do que o seu nome sugere. O cogumelo de Satanás não é, como se acreditava anteriormente, letal, mas causa alguma toxicidade. Geralmente cresce nas clareiras das florestas ao lado das raízes de carvalhos, faias e carvalhos. É raro, mas geralmente cresce nas mesmas áreas, principalmente na área de altura média das montanhas ou nas partes mais altas da planície. Seu veneno é especialmente tóxico quando consumido cru e indigesto, uma vez cozido. Ela produz distúrbios gastrointestinais com vômitos e diarréia, que se manifestam logo após o consumo.

TOP 2:

Amanita muscaria

Amanita muscaria
O mata-moscas tem a virtude de paralisar os insetos que entram em contato com ele, daí seu apelido. É um cogumelo impressionante, no qual, segundo a literatura fantástica, os gnomos vivem, o que pode ser facilmente confundido com outros, como o pombo. Como os phalloides, o 'Amanita muscaria' cresce em ambientes muito variados, em todos os níveis e associados às raízes das árvores, geralmente faia, pinheiro-preto ou bétula. Aparece no final do verão e início do outono em toda a Espanha. Seu veneno tem um efeito principalmente neurotóxico, com consequências sérias, mas não necessariamente fatais. Além disso, é tóxico para o intestino e fígado, e tem propriedades alucinógenas. Os sintomas que causam são gastrointestinais (vômitos, cólicas, etc.) e se manifestam cerca de duas horas após a ingestão.


TOP 1:

Amanita phalloides

Amanita phalloides
A cicuta verde, como é comumente conhecida, é responsável pela maioria dos casos de envenenamento por fungos em nosso país. Seu veneno é tão poderoso que pode causar a morte após a ingestão de um único espécime. A rainha das espécies 'Amanitas' cresce ao longo da estação micológica (setembro a fevereiro), em todos os tipos de florestas e em toda a península, desde a costa até a montanha. O veneno do 'Amanita phalloides' ataca as células do sistema nervoso central, fígado ou músculos, destruindo-as, e seus efeitos aparecem entre seis e 12 horas após sua ingestão. Os sintomas mais freqüentes são náuseas e vômitos, diarréia sanguinolenta, cólica ... Quando aparecem, alguns órgãos já sofreram danos significativos, por isso é essencial ir ao hospital o mais rápido possível.