As melhores curiosidades da Irlanda

| ENTRETENIMENTO
As melhores curiosidades da Irlanda
Fonte: listas.20minutos.es
Existe um lugar ideal para resgatar a criança que está por dentro e sonha com a imaginação na superfície, em uma terra de fantasia, mistério e contos de fadas. Com mitos e lendas antigas para descobrir e paisagens fascinantes para explorar, a Irlanda é um lugar onde a magia e a ilusão são infinitas. Há fadas e duendes são os protagonistas em cada site. As mais incríveis histórias celtas, cheias de admiração e ação, ocorreram em terras irlandesas.

TOP 17:
Newgrange
Newgrange
A 60 quil√īmetros de Dublin, no Condado de Meath, encontra-se Newgrange, um s√≠tio arqueol√≥gico com mais de 5.000 anos de idade, mais que Stonehenge na Inglaterra e a Grande Pir√Ęmide de Giz√© no Egito. √Č uma tumba em forma de passagem dentro de uma grande constru√ß√£o circular que, juntamente com os locais pr√≥ximos de Knowth e Dowtn, foi declarada Patrim√īnio da Humanidade pela Unesco em 1993. Na incr√≠vel paisagem de Br√ļ na B√≥inneen, ou Valle del Boyne, de colinas verdes salpicadas de pequenas √°rvores, encontramos um lugar cheio de magia e mist√©rio que ficou escondido por 4.000 anos at√© ser redescoberto. √Č uma grande estrutura circular com um tamanho semelhante ao de uma colina que deve ter servido em sua √©poca como tumba, ou pelo menos para realizar rituais relacionados √† morte, como crema√ß√Ķes. Suas paredes s√£o constitu√≠das por grandes rochas em sua base e sobem v√°rios metros com uma cal√ßada de pequenas pedras brancas. As pedras de base s√£o cobertas com desenhos celtas, como espirais, espirais duplas e trisquels, que se referem √† vida eterna. Essa circunfer√™ncia possui uma porta atrav√©s da qual acessamos um corredor muito estreito de 18 metros, que nos leva a uma ampla c√Ęmara em forma de cruz, cujo teto sobe para cerca de seis metros e cria uma ab√≥bada de grandes rochas. Esta constru√ß√£o permaneceu oculta at√© o s√©culo XVII, quando foi descoberta por pessoas que procuravam pedras para usar nas obras de constru√ß√£o. Mais tarde, entre 1962 e 1975, Newgrange foi escavado e restaurado. Durante a escava√ß√£o, foram encontrados restos de cinco pessoas. O curioso sobre esse local √© que, durante o solst√≠cio de inverno, em 21 de dezembro, um raio de sol penetra pela √ļnica porta dessa constru√ß√£o, iluminando a c√Ęmara central, que fica escura durante o resto do ano. Esse momento s√≥ pode ser vivido por algumas pessoas de sorte, porque, para visitar o local no momento em que a ilumina√ß√£o ocorre, voc√™ deve ser selecionado atrav√©s de um sorteio entre milhares de candidatos por ano.

TOP 16:
Origem do nome Irlanda
Origem do nome Irlanda
Ela vem do nome √Čriu, que na mitologia irlandesa era filha de Ernmas dos Tuatha D√© Danann. Seu marido era Mac Gr√©ine (filho do sol) = √Čriu + 'terra'. Junto com suas irm√£s, Banba e Fodla, ele fazia parte de uma importante tr√≠ade de deusas. Quando os milicianos chegaram da Galiza, cada uma das tr√™s irm√£s pediu que seu nome fosse dado ao pa√≠s. Foi concedido a todos os tr√™s, embora √Čriu (√Čire) tenha se tornado o mais amplamente utilizado (Banba e Fodla ainda s√£o √†s vezes usados como nomes po√©ticos para a Irlanda).


TOP 15:

Cabeça de Hag - falésias de Moher

Cabeça de Hag - falésias de Moher
Hag's Head (a cabe√ßa da bruxa) √© o nome dado ao ponto mais ao sul dos penhascos de Moher, onde os penhascos formam uma forma√ß√£o rochosa incomum que lembra a cabe√ßa de uma mulher olhando para o mar. Uma lenda conta como uma velha bruxa, Mal, se apaixonou pelo her√≥i irland√™s C√ļ Chulainn e perseguiu seu ente querido por toda a Irlanda. C√ļ Chulainn pulou pelas pedras como se fossem degraus, mas Mal n√£o era t√£o √°gil e caiu no penhasco.

TOP 14:

São Patrício, um santo "celestino"

São Patrício, um santo "celestino"
S√£o Patr√≠cio √© famoso por suas boas obras, uma das quais come√ßou com a queixa de Santa Br√≠gida ao santo, porque considerava injusto que as mulheres tivessem que esperar que um homem as declarasse. Por esse motivo, S√£o Patr√≠cio "resolveu" o conflito concedendo um dia para as mulheres se declararem homens, e ele foi t√£o generoso que prop√īs em 29 de fevereiro, para que a cada quatro anos voc√™ possa ver alguma mulher ajoelhada e declarando pe√ßa a m√£o. Para isso, n√£o surpreende que eles usem o anel Claddagh, um anel tradicional irland√™s que √© dado como s√≠mbolo de amizade ou como anel de noivado. O anel apresenta duas m√£os entrela√ßadas segurando um cora√ß√£o com uma coroa nelas. Dizem que o cora√ß√£o corresponde ao amor, as m√£os √† amizade e a coroa √† lealdade. Segundo a tradi√ß√£o, dependendo de como o anel √© usado, ele tem um significado ou outro: - Na m√£o direita, com o cora√ß√£o apontando para fora, significa que a pessoa n√£o tem nenhum relacionamento; no entanto, se estiver apontando para o corpo, essa pessoa tem o seu cora√ß√£o ocupado. - Na m√£o esquerda, se o anel est√° apontando para fora, significa que a pessoa est√° noiva, quando a pessoa √© casada, o anel aponta para o corpo. Filme "Tinha que ser voc√™" - 2009 Sinopse: Anna (Amy Adams) namora Jeremy h√° quatro anos e est√° cansada de esperar que ele a pe√ßa. Coincidindo com a viagem de seu namorado a Dublin, a jovem descobre que na Irlanda h√° uma lenda segundo a qual as mulheres s√≥ podem pedir a m√£o de homens em 29 de fevereiro, em anos bissextos. Anna decide deixar Boston para cumprir essa antiga tradi√ß√£o, mas a m√° sorte gera com ela e acaba sendo perdida. Declan (Matthew Goode), um tipo sombrio, se torna sua √ļnica ajuda.

TOP 13:

A Colina Misteriosa de Tara

A Colina Misteriosa de Tara
Por muitos s√©culos, os historiadores tentaram desvendar os mist√©rios de Tara e sugeriram que desde a invas√£o celta da ilha at√© a invas√£o de Richard de Clare em 1169, era o centro pol√≠tico e espiritual da ilha. Como a hist√≥ria e a arqueologia da Irlanda n√£o s√£o bem coordenadas, as teorias arqueol√≥gicas, em rela√ß√£o a descobertas recentes, sugerem que a hist√≥ria completa de Hill of Tara est√° longe de ser totalmente compreendida. A disputa anterior dos estudiosos sobre a import√Ęncia inicial de Tara avan√ßou quando os arque√≥logos identificaram monumentos e edif√≠cios pr√©-celtas, datando-os do Neol√≠tico, cerca de 5.000 anos atr√°s. Uma dessas estruturas, o Hostage Mound, tem um pequeno corredor alinhado com o p√īr do sol de 8 de novembro e 4 de fevereiro, que s√£o as datas em que foram celebrados os antigos festivais celtas de Samhain e Imbolc . H√° uma tumba, localizada perto da colina, que √© designada como a sepultura do rei L√≥egaire, que foi o √ļltimo rei pag√£o da Irlanda. Conor Newman, professor de arqueologia da Universidade Nacional da Irlanda em Galway, anunciou que havia localizado um enorme templo subterr√Ęneo em Tara. Desde 1992, Newman trabalha em Tara Hill, preparando um estudo da √°rea para o Discovery Program, financiado pelo estado. Ele encontrou o monumento de Tara usando um dispositivo de radar subterr√Ęneo. O que eles finalmente descobriram no topo da colina foi um enorme monumento em forma oval que mede cerca de 170 metros em seu ponto mais largo. Ao redor, existem 300 buracos de postes com dois metros de largura. As evid√™ncias indicam que essa "coroa" (tiara), joia da arqueologia irlandesa, foi constru√≠da atrav√©s de um enorme esfor√ßo. Uma vez, 300 torres de pau de carvalho cercaram a colina. Esta √ļltima descoberta revela que o verdadeiro tesouro existe abaixo da colina sagrada e que em breve poder√° ser revivido. Tara √© o lar pr√©-hist√≥rico dos m√°gicos Tuatha D√© Danaan, que s√£o considerados descendentes diretos ou reencarna√ß√Ķes do b√≠blico resplandecente (Elohim), os deuses criadores. Acredita-se que a Pedra de Anna ou "luz" na colina de Tara seja igual √† pedra da Luz ("luz") sobre a qual Jac√≥ colocou a cabe√ßa e depois viu uma escada que levava ao c√©u. A mitologia Danaan indica que eles tinham a capacidade de controlar a luz do sol atrav√©s do poder de uma pedra azul m√°gica de poderes milagrosos. Esta pedra √© a base da mitologia irlandesa. H√° uma conex√£o fascinante e poderosa entre as pedras azuis da EA na Irlanda e a Arca da Alian√ßa, o vaso de ouro atrav√©s do qual a brilhante presen√ßa da Divina Luz de Deus apareceu aos judeus. Segundo a tradi√ß√£o irlandesa, a "Arca da Alian√ßa" perdida est√° escondida em Tara. No in√≠cio do s√©culo 20, um grupo de israelitas, conectando Tara com a Tor√°, chegou a Tara com a convic√ß√£o de que a Arca da Alian√ßa estava enterrada na famosa colina. Eles cavaram o Monte do S√≠nodo em busca da Arca, mas encontraram apenas algumas moedas romanas. A escava√ß√£o oficial na d√©cada de 1950 revelou os c√≠rculos dos buracos dos postes, indicando a constru√ß√£o de edif√≠cios importantes aqui. Graham Hancock menciona essas pedras em "O Sinal e o Selo", especulando que Mois√©s sabia que eles estavam escondidos no Monte Sinai e que eles s√£o meteoritos que possuem uma fonte de poder sobrenatural. Al√©m disso, sugere que eles sejam um sistema de criptografia para o Santo Graal. O cacho de uvas, ou pedras azuis, simboliza o Graal. A maioria dos pesquisadores da Arca esquiva as pedras azuis por falta de informa√ß√Ķes dispon√≠veis, e pelo fato de terem sido esmagadas por Mois√©s e substitu√≠das por uma segunda s√©rie de tabuletas contendo os Dez Mandamentos. As pedras azuis foram dadas a Mois√©s por um Deus da luz na montanha brilhante, ou montanha fumegante da luz, Sinai, que √© considerada uma met√°fora da √Ārvore da Sabedoria e a porta para Deus. A id√©ia irlandesa √© que Jeremias trouxe as pedras para a Irlanda junto com a princesa de Tara, fundando uma escola de sabedoria druida baseada nas pedras. A corrida para recuperar as pedras azuis da Atl√Ęntida continua.


TOP 12:

Origem da mitologia irlandesa

Origem da mitologia irlandesa
Os celtas cobriram grande parte do continente europeu, mas n√£o foram unificados; portanto, houve muita varia√ß√£o nas pr√°ticas locais da religi√£o celta. Dos aproximadamente 300 deuses que foram adorados por esses povos, preservamos apenas aqueles que tinham o equivalente romano. A natureza e as fun√ß√Ķes desses deuses antigos podem ser deduzidas de seus nomes, da localiza√ß√£o de suas inscri√ß√Ķes, de sua iconografia e das divindades romanas com as quais foram comparadas. O mito mais antigo √© encontrado nos manuscritos correspondentes √† alta Idade M√©dia na Irlanda, que foram escritos por crist√£os, de modo que a natureza divina de seus deuses foi modificada. O mito original parece ser uma guerra entre duas ra√ßas aparentemente divinas: os Tuatha D√© Danann, literalmente as Tribos da Deusa Dana, que constituem o que √© chamado de grandes deuses do pante√£o irland√™s, e o Fomor√©, um povo misterioso que aparece constantemente na tradi√ß√£o Irlandeses compostos por gigantes que vivem nas ilhas que cercam a Irlanda e amea√ßam continuamente invadi-la sem que isso aconte√ßa. Para os primeiros celtas, algumas √°rvores eram consideradas sagradas. A import√Ęncia das √°rvores na religi√£o celta √© demonstrada pelo fato de que muitos nomes da tribo eburoniana cont√™m alguma refer√™ncia ao teixo, enquanto nomes como Mac Cuilinn (filho do azevinho) e Mac Ibar (filho do teixo) aparecem nos mitos irlandeses.

TOP 11:

Os duendes

Os duendes
Os duendes s√£o menos populares e menos conhecidos que os duendes. Quando falamos de um elfo, certamente todos nos lembramos de um pequeno ser, com cabelos avermelhados, bochechas, rubor no rosto e um terno verde. Talvez muitos de voc√™s o vejam mesmo com seu chap√©u caracter√≠stico. Bem, essa imagem √© inspirada no famoso duende. A palavra "duende" vem de uma palavra irlandesa "luchorpan", que significa "corpo pequeno", de acordo com a fonte mais comum. Na l√≠ngua ga√©lica irlandesa, √© "leipreach√†n". Existem v√°rias possibilidades etimol√≥gicas para a palavra "duende", embora a mais conhecida seja a que diz que poderia derivar da express√£o ga√©lica "leath bhr√≤gan", literalmente sapateiro. N√£o √© incomum, ent√£o, que o duende irland√™s tamb√©m seja reconhecido como o sapateiro da Irlanda. Ele √© frequentemente retratado trabalhando em um sapato. Eles s√£o as criaturas populares mais conhecidas da Irlanda, mas tamb√©m um dos seres m√°gicos mais conhecidos. Devido √† sua grande popularidade, tornou-se quase uma criatura m√≠tica, de uma ra√ßa quase hist√≥rica (da hist√≥ria antes da chegada dos celtas da Irlanda) como a Tuatha D√© Danann para o povo irland√™s. Sua apar√™ncia evoluiu de acordo com o tempo e o tempo. Pode ser jovem ou velho, parecer um bom menino ou jovem ou talvez um visual mais maduro e mal-humorado. J√° vemos que isso pode ser gentil ou feroz. N√£o √© todo preto nem todo branco, √© uma bela mistura dos dois, √† imagem de muitas criaturas m√°gicas. Indom√°vel por natureza, dar e receber, pode ser √ļtil ou ganancioso. O certo √© que ele √© um ser corajoso e trabalhador. Ele se move muito r√°pido e tem a capacidade de ser invis√≠vel ou desaparecer. Dessa forma, voc√™ pode escapar melhor dos seus atacantes. Ele tamb√©m tem o poder de trazer o arco-√≠ris, chamando-o de um m√©todo que somente ele conhece. Pode trazer sorte ou infort√ļnio, de acordo com o seu gosto. Quanto ao humor, ele √© um pouco sarc√°stico. Ele n√£o gosta de estrangeiros ou de ser incomodado. √Č um esp√≠rito da natureza, livre, selvagem e indom√°vel. No entanto, ele conseguiu permanecer um dos s√≠mbolos mais vivos da Irlanda. Dizem que s√£o muito ricos, pois guardam muitos frascos de barro cheios de tesouros que foram enterrados em per√≠odos de guerra. Segundo a lenda, se algu√©m consegue fixar o olhar em um duende, ele n√£o pode escapar e tem que lhe dar seus tesouros, mas no momento em que ele desvia o olhar ... ele desaparece.

TOP 10:

A magia da harpa celta

A magia da harpa celta
A harpa celta √© o s√≠mbolo mais antigo da Irlanda. Este instrumento de cordas foi usado em carimbos e documentos oficiais, pois agora √© uma ef√≠gie cunhada em moedas e carimbada nas notas de euro irlandesas. Harpa, instrumento para curar o esp√≠rito: "Legado da cultura celta, conex√£o do homem com a natureza em seu estado mais puro; recupere a ess√™ncia divina que todos temos". A harpa √© um instrumento que vem de tempos muito remotos, mesmo antes do Egito antigo. √Č o legado dos celtas que viviam nos territ√≥rios que hoje s√£o a Irlanda, a Esc√≥cia e a Espanha. Eles estavam muito conectados com a natureza e governavam suas vidas, desde o movimento das estrelas, at√© coisas muito sutis, como a √°gua. A conex√£o que eles tinham com fadas, com os seres invis√≠veis, com os seres espirituais de cada elemento e com aqueles que s√£o vis√≠veis. Os celtas eram s√°bios e seus druidas curados com m√ļsica. A harpa celta √© um instrumento muito sutil e, ao mesmo tempo, muito poderoso, est√° sintonizada com todas essas energias, e √© por isso que a usavam principalmente para um prop√≥sito mais profundo do que apenas divertido: como cura.


TOP 9:

A paix√£o irlandesa pela cerveja

A paix√£o irlandesa pela cerveja
Todo mundo conhece o gosto irland√™s por √°lcool e m√ļsica, por isso √© comum encontrar um grupo de m√ļsica tradicional todos os dias em um pub irland√™s, onde n√£o apenas cantam e dan√ßam, mas √†s vezes s√£o contadas lendas mitol√≥gico como a hist√≥ria do dil√ļvio universal do ponto de vista da Irlanda. √Č relatado que a inunda√ß√£o afetou a ilha de tal maneira que a despovoou, e as primeiras pessoas a repovoar a ilha foram uma cervejaria e uma distribuidora de bebidas alco√≥licas. Do ponto de vista de hoje, essa hist√≥ria parece plaus√≠vel.

TOP 8:

Oweynagat, o port√£o m√°gico de Roscomonn

Oweynagat, o port√£o m√°gico de Roscomonn
A Irlanda é uma terra da mitologia e no Condado de Roscommon encontramos o Oweynagat. Este lugar faz parte de Cruachan, que se acredita ser a capital do reino de Connacht e a sede da rainha Maeve e seu marido Ailill de Connacht, personagens do círculo de Ulster da mitologia irlandesa. Este local, um monte, está muito presente no folclore local porque fala sobre muitas criaturas destrutivas que emergiram do solo usando o Oweynagcat, a caverna de Cruachan, como uma porta de saída para a superfície.

TOP 7:

A senhora da morte

A senhora da morte
A mitologia irlandesa emprestou muitas hist√≥rias, contos, contos de fantasia medievais e quadrinhos. √Č realmente maravilhoso. Uma de suas personagens √© Banshee, ent√£o as fadas irlandesas s√£o chamadas (Ban = Woman, Shee = Fairy). Pode aparecer em tr√™s formas diferentes: quando jovem, como parteira ou como uma harpia feia e velha. Com essas tr√™s formas, o que ele faz √© representar as deusas celtas da guerra e da morte, na √©poca chamadas Badhbh, Macha ou Mor-Rioghain. Embora ela possa aparecer vestida de maneiras diferentes, ela sempre aparecer√° com o cabelo solto e os olhos vermelhos que permanecem ap√≥s o choro. Os irlandeses dizem que quando algu√©m est√° prestes a morrer, o Banshee aparece em casa durante a noite e √†s vezes pode ficar l√° chorando por v√°rios dias, anunciando a morte de um mortal. A Banshee √© uma mulher solit√°ria que, tamb√©m se diz, lamenta apenas fam√≠lias que t√™m uma longa linhagem celta com sobrenomes que come√ßam com Mc ou Mac ou O '. A tradi√ß√£o celta diz que voc√™ s√≥ pode chorar por cinco fam√≠lias. Ela tamb√©m √© chamada The White Lady of Wailing ou a Lady of Death.


TOP 6:

O mito das sereias

O mito das sereias
Na Irlanda, eles chamam os mer√©nids de merrids. Eles acreditam que o n√ļmero de f√™meas √© maior que o dos machos, embora sejam mais feios que seus companheiros: um merrow masculino tem dentes pontudos e um rosto semelhante a um porco. Todos os merrows s√£o caracterizados pelas membranas de suas m√£os, sua hostilidade em rela√ß√£o aos seres humanos e suas roupas m√°gicas, que lhes permitem atravessar qualquer corrente oce√Ęnica. Todo homem ou mulher que rouba uma roupa de uma treli√ßa tem poder sobre ele e, em muitas hist√≥rias, v√°rios homens escondem essas roupas for√ßando as mulheres a se casar com elas. Assim, os homens ganham esposas lindas e ricas (devido √†s botas que as sereias obt√™m com os naufr√°gios), mas se a esposa de Merrow recuperar sua roupa, o chamado do mar ser√° t√£o forte que ela acabar√° abandonando seus filhos e seu marido. Atualmente, existem opini√Ķes sobre a exist√™ncia dessas criaturas mitol√≥gicas. Essa diversidade √© encontrada em document√°rios e artigos que garantem e at√© argumentam sua exist√™ncia. Um exemplo √© uma fantasia na forma de um document√°rio televisionado no Animal Planet do Discovery Channel, "Sereias: O Corpo Encontrado", e muitas pessoas pensaram que eram prova de exist√™ncia.

TOP 5:

Os fantasmas de Malahide

Os fantasmas de Malahide
A Irlanda √© um pa√≠s completamente ligado √† tradi√ß√£o celta e, como tal, a centenas de lendas cheias de fantasmas, esp√≠ritos e outros mitos que evocam certos ecos de outros mundos. Dentro deste majestoso para√≠so esot√©rico, Dublin desempenha um papel muito importante, uma vez que alguns dos grandes pontos m√°gicos s√£o encontrados em seus arredores, por exemplo, o famoso castelo Malahide, cujos numerosos fantasmas falam sobre os arredores. Uma p√°gina chamada cavaleiro foi acusada de proteger a filha do conde Talbot. Ela, prometida a um homem mau, foi atacada uma noite em que o cavaleiro estava ausente, enganado pelo cruel futuro marido da menina. Ao retornar, ele foi pego e acusado do ataque. Apesar de sua declara√ß√£o exculpat√≥ria, o cavaleiro foi condenado √† morte por enforcamento. Ela cometeu suic√≠dio antes de ser for√ßada a casar com seu noivo infame e, novamente, culpando a p√°gina por essa situa√ß√£o, eles o amaldi√ßoaram a vagar pelo castelo at√© que ele reparasse sua falha e recebesse perd√£o da fam√≠lia. Desde ent√£o, Anthony, o cavaleiro injustamente enforcado, caminha sozinho pelo castelo triste e aparece em busca de ajuda e perd√£o, para poder descansar em paz. Muitos garantem que, ainda hoje, podem ser vistos, ouvidos e sentidos, principalmente √† noite, embora tamb√©m afirmem que n√£o causa nenhum sentimento de medo, mas de nostalgia. Dizem que ele √© um personagem cativante que todos os que trabalham no castelo gostam. √Č um lugar tremendamente esot√©rico e muito bonito, para que os incr√©dulos possam visit√°-lo e, se ficarem desapontados, visitar√£o pelo menos o mais antigo castelo medieval da Irlanda. Uma maldi√ß√£o Uma hist√≥ria curiosa √© a da Batalha de Boyne, na qual h√° uma figura muito ilustrativa que no Grande Sal√£o ou pelo menos existia. E parece que catorze membros da fam√≠lia Talbot tomaram caf√© juntos uma manh√£ na sala de jantar do castelo, mas depois da briga nenhum deles voltou vivo ao entardecer. Diz-se que o infort√ļnio foi resultado de uma maldi√ß√£o resultante da desobedi√™ncia de um dos Talbot. Esse homem sonhava que uma virgem lhe aparecesse e lhe ordenou que constru√≠sse uma c√Ęmara votiva adornada com pilares de marfim, mas como o marfim era muito caro, o conde o construiu em madeira de carvalho e pintou os pilares de branco. "A Virgem Maria nunca perceber√° a diferen√ßa", deve ter pensado o avarento conde, e aparentemente a Virgem notou o engano e, desde ent√£o, retirou seu favor da fam√≠lia. Fam√≠lia que caiu em desuso.

TOP 4:

São Patrício e os elfos

São Patrício e os elfos
Dizem que quando Patricio fundou a primeira igreja a come√ßar a convers√£o do paganismo, seus druidas n√£o ca√≠ram em gra√ßa, ent√£o enviaram os elfos (seres elementares sobre os quais exerceram seu poder), para perturbar o santo que vinha ganhando muitos seguidores pelos milagres que realizou. Assim, os elfos tentaram tornar a vida imposs√≠vel dentro da Igreja, irritando diretamente todos os paroquianos, que reclamavam continuamente deles, at√© que S√£o Patr√≠cio decidiu enfrent√°-los e expuls√°-los da casa de Deus, com essas palavras; ‚ÄúEm nome do Deus Todo-Poderoso, eu os expulso, os esp√≠ritos impuros.‚ÄĚ Frase que foi cunhada e adotada pelos irlandeses para exorcizar essas criaturas divertidas e irritantes, durante o resto da hist√≥ria.

TOP 3:

Trevos de três folhas

Trevos de três folhas
N√£o √© de admirar que os trevos sejam um s√≠mbolo ic√īnico da Irlanda. Segundo a lenda, eles s√£o considerados uma planta sagrada porque suas folhas formaram uma tr√≠ade, e o n√ļmero 3 era um d√≠gito m√≠stico na religi√£o celta. Quando a religi√£o crist√£ chegou √† ilha, os trevos novamente desempenharam um papel muito importante, pois se diz que S√£o Patr√≠cio cristianizou a ilha gra√ßas ao trevo. Um trevo de tr√™s folhas se parece com uma cruz e cada folha simboliza a Sant√≠ssima Trindade (Pai, Filho e Esp√≠rito Santo).


TOP 2:

A mensagem das borboletas

A mensagem das borboletas
"Entre os celtas, as borboletas tinham um simbolismo espec√≠fico, representavam sua cren√ßa na exist√™ncia de fadas. A borboleta √© um s√≠mbolo do 'Sidhe' e representa uma metamorfose, uma transi√ß√£o metaf√≥rica dos esp√≠ritos que esperam renascer, 'morrer' no Outro mundo, para nascer neste mundo, em uma troca perp√©tua.Esses esp√≠ritos que precisam retornar ao nosso mundo, costumavam ser representados como fadas, montadas em borboletas, para nos lembrar o simbolismo desse aspecto transformador. viajar entre mundos em busca de conhecimento, atravessando fronteiras e com as experi√™ncias de inconsci√™ncia que nos enriquecem ". Quando as borboletas flutuam dentro das casas, elas sempre anunciam novidades. Dependendo da cor, as not√≠cias podem ser positivas ou negativas. - Se as borboletas s√£o brancas ou dominam essa cor, elas anunciam not√≠cias positivas sobre algo que √© esperado. √Č a luz que se difunde. Expressa a id√©ia de: inoc√™ncia, paz, inf√Ęncia, divindade, estabilidade. - Se s√£o pretas ou predominam essa cor, as borboletas trazem um press√°gio negativo. Eles anunciam pequenos contratempos e obst√°culos a serem descobertos. - Quando as borboletas que nos visitam s√£o de cor violeta, trazem equil√≠brio, harmonia, estabilidade e um alto grau de capacidade de relacionamento entre as pessoas que est√£o no meio ambiente. - Se a cor verde estiver nas asas, as borboletas falam de amor. Novos amores e recupera√ß√Ķes de amor. Reconcilia√ß√Ķes e reaproxima√ß√Ķes com pessoas que se distanciaram de n√≥s. - Se as borboletas s√£o amarelas ou essa cor √© dominante, elas anunciam que estamos entrando em um momento em que o sucesso nos acompanhar√°. - Marrons, eles anunciam inimigos e nos convidam a descobri-los. - Rojas, recupera√ß√£o de pessoas doentes. - E os azuis s√£o os mais m√°gicos. Borboletas azuis s√£o como um amuleto da boa sorte.

TOP 1:

Por que existem tantos castelos na Irlanda?

Por que existem tantos castelos na Irlanda?
√Č surpreendente que em um territ√≥rio t√£o pequeno haja tantas fortalezas, mas talvez menos surpreso ao saber que Eduardo VI prometeu uma doa√ß√£o de 10 libras a quem construiu um castelo porque queria fortalecer as fronteiras de seu reino. Os castelos irlandeses escondem todos os tipos de segredos, trai√ß√Ķes e assassinatos, mas tamb√©m alguns elementos menos m√≥rbidos; Se voc√™ deseja obter o dom da eloqu√™ncia, deve beijar a pedra Blarney (Castelo de Blarney, Irlanda do Sul), pois, segundo a lenda, se voc√™ beijar essa pedra, receber√° esse presente precioso. O √ļnico problema √© que, para beij√°-la, voc√™ deve manter uma postura um pouco desconfort√°vel, pois precisa sentar e recostar-se no vazio para tocar a pedra m√≠tica com os l√°bios. Embora agora a coloca√ß√£o de barras de vida para manter o torcicolo seja o √ļnico risco real, antes havia um perigo real como pre√ßo para obter eloq√ľ√™ncia valiosa.